Você sabe quanto custa não treinar os colaboradores da sua empresa?

Infelizmente, mesmo em 2018, muitas empresas ainda pensam que treinar os colaboradores é uma despesa e não um investimento. Essas certamente não enxergam que, inevitavelmente, colaboradores não treinados terão conhecimento insuficiente para usar os recursos da empresa adequadamente. Isso no setor de serviços, por exemplo, poderá levar ao desperdício de recursos. A falta de conhecimento sobre os procedimentos afetará a interação e a retenção de clientes. E em um cenário assim todos sofrem: colaboradores, clientes e a própria companhia.

E se mesmo depois de ler isso você ainda não estiver convencido de que o treinamento é o caminho certo a percorrer, aqui vão 4 motivos pelos quais colaboradores não treinados podem levar ao enfraquecimento no resultado e à falta de sustentabilidade de um negócio.

1. Vale muito a pena investir na felicidade dos colaboradores

Empresas de sucesso investem em benefícios e capacitação para seus funcionários não apenas porque são empresas boazinhas. Companhias que investem nisso perceberam que existe uma correlação clara entre funcionários felizes e a rentabilidade do negócio.

As novas gerações que chegam ao mercado de trabalho acreditam no valor do treinamento e na oportunidade de avançar na carreira. Isso porque eles estão cientes de que no mundo competitivo em que vivem um trabalho que oferece oportunidades de treinamento satisfaz sua necessidade de ser um profissional "multi skills".

Uma pesquisa realizada pela PwC fez a seguinte a Millennials: "Quais das seguintes características tornam uma organização atraente para se trabalhar?". 52% deles responderam "Oportunidades de crescimento na carreira" e 35% responderam "Treinamento de excelência e Programas de desenvolvimento".

2. Treinar e reter atuais colaboradores é mais barato que contratar novos colaboradores

A falta de treinamento leva colaboradores a se sentirem desvalorizados em seu trabalho e pode dar a ideia de que trabalham numa função não tão importante para a empresa. Em situações assim, os os colaboradores acabam deixando a empresa ou são demitidos por baixo desempenho. Embora pareça simples substituir um funcionário por outro, lembre-se do seguinte: contratar alguém pode custar até 30% a mais.

Os custos de recrutamento e treinamento de novos colaboradores são muito maiores do que o que seria necessário para treinar um colaborador atual. Isso fica claro quando você compara o tempo e o dinheiro necessários para contratar novos colaboradores com o investimento de tempo e dinheiro para treinar funcionários acostumados à empresa. Os custos de re-contratação representam cerca de 12% das despesas de uma empresa. Esse percentual pode chegar a até 40% para empresas que têm uma alta taxa de turnover.

3. Colaboradores treinados trabalham de maneira mais eficiente

Dizem que uma empresa é tão boa quanto seus colabores, e os colaboradores são, na realidade, tão bons quanto os recursos que lhes são disponibilizados. Quando os funcionários têm um desempenho ruim isso reflete negativamente nos negócios e afeta os resultados da companhia. Somado isso, se você tem uma alta taxa de rotatividade com dezenas ou centenas de funcionários cometendo os mesmos erros, é hora de olhar para o treinamento fornecido, não para os próprios colaboradores.

O treinamento adequado tornará os trabalhadores melhores e mais capazes de realizar suas tarefas, o que reduzirá o tempo necessário para buscar informações enquanto estão trabalhando. Isso também ajuda a acabar com a redundância de esforços em que vários funcionários estão tentando realizar a mesma tarefa, sem realizar o trabalho real, porque nunca foram treinados. O tempo e o dinheiro necessários para corrigir os erros também diminuem muito quando os funcionários têm as ferramentas para executar a tarefa corretamente na primeira vez.

Pode parecer difícil produzir um treinamento de uma semana para os funcionários, mas sempre existe uma alternativa viável. Com o nosso mundo impulsionado pela tecnologia e a cultura do on-demand, a melhor e mais econômica maneira de oferecer capacitação é com cursos on-line, que podem ser realizados no ritmo e horário de cada colaborador.

4. Treinamento Eficaz = Aumento de Produtividade

O treinamento não é mais sobre o envio de todos os gerentes para uma conferência de fim de semana ou o envio de alguém para uma palestra de 8 horas em um hotel. O treinamento eficaz precisa ser adaptado às necessidades de funcionários e negócios e ser um empreendimento contínuo.

Concorrência de todo o mundo e tecnologia em constante mudança significa que as habilidades precisam ser atualizadas regularmente para manter sua força de trabalho pronta e capaz de apoiar sua empresa. Seu Departamento de Recursos Humanos deve priorizar a integração de processos para incentivar e promover a educação e o desenvolvimento de habilidades dos funcionários, ao mesmo tempo mantendo a quantidade de tempo gasto longe do trabalho ao mínimo.

E é aqui que os cursos e-learning são a salvação. Um único treinamento de 8 horas pode ser condensado em um curso on-line de 3 horas. Com isso, os colaboradores poderão acessar em seu próprio tempo e condições. De modo geral, os cursos on-line permitem uma grande taxa de retenção, pois os alunos têm a liberdade de rever os módulos que não entenderam a qualquer momento. Isso contribui para o aumento da produtividade porque o treinamento eficaz faz com que os funcionários se sintam valorizados e empoderados, o que promove lealdade e envolvimento com seu empregador, que lhe forneceu capacitação.

O barato que sai caro

Antes de desistir de treinar seu colaboradores considere sempre o quão mais caro é não treiná-los. Leve em consideração a perda de produtividade, o custo da rotatividade de funcionários e a perda de clientes devido a erros cometidos por colaboradores que não tiveram um treinamento adequado. A capacitação e a felicidade de seus funcionários são tão importantes quanto os próprios colaboradores.

Desenvolver um bom treinamento corporativo é algo exige bastante cuidado, entretanto, com as técnicas adequadas, treinar o seu time de maneira eficaz está ao seu alcance.

Se você curtiu esse post, que tal dar uma olhada em outros posts do nosso blog?! Somos especialistas em treinamento corporativo e gostamos de compartilhar aquilo que sabemos para ajudar pessoas como você a desenvolver treinamentos que colaborarem para melhorar os resultados da sua empresa. Fale com a gente!


Como ajudar seu time de vendas a competir com o on-line?

Falando de vendas, se existe uma coisa certa é que o e-commerce mudou totalmente a experiência do varejo. Hoje já não é mais suficiente apenas ter um time de vendas na loja aguardando para desejar bom dia aos clientes e ajudá-los a testar equipamentos ou experimentar roupas. Os clientes da geração Y e da Geração Z, cada vez mais presentes no mercado, são compradores multicanais. Clientes multicanais são aqueles que pesquisam off-line e compram on-line ou dão uma olhada no produto on-line antes de se dirigir a uma loja física para fazer a compra.

Quando um cliente multicanal vai a uma loja ele deseja encontrar o que não consegue ter acesso on-line: atendimento humano. Ele espera uma interação pessoal que complemente a experiência on-line que teve com a marca. Ele espera que alguém possa antecipar suas anseios e oferecer um contato humano correto.

Diante de um cenário assim, como é possível treinar seu time para oferecer ao seu cliente algo tão subjetivo quanto uma boa experiência de contato humano? Existem caminhos percorridos por marcas e empresas que já pensaram a respeito do tema e encontraram soluções que vão muito além do que apenas conhecer o básico dos produtos nas prateleiras.

Com base nessas soluções, e pensando em ajudar o seu time, aqui estão 4 ações que você deve levar em conta se você quer desenvolver treinamentos que rendam experiências de qualidade para o seu cliente. Confere aí!

1. Concentre-se também na experiência do colaborador

É claro que que a experiência do cliente é um foco importante para qualquer marca de varejo. Entretanto pouco se pensa no fato de que a experiência do colaborador deve estar de acordo com a experiência do cliente. Se você precisa que seus colaboradores ofereçam mais ao cliente, ofereça mais a eles.

Em primeiro lugar, você deve ter em mente que está treinando pessoas para vender uma imagem, uma marca. Por isso elas precisam entender a imagem antes de poder vendê-la. Seus colaboradores precisam acreditar na sua marca e nos valores que ela carrega e comunica. Para isso, os valores corporativos ou mesmo a missão e a visão da empresa precisam ser muito mais do que apenas palavras em um mural ou conceitos escritos no caderno de treinamento, que precisam ser decorados. Isso se você quiser que o seu time compre o conceito da sua marca.

2. Crie conexões significativas com seus colaboradores

O ponto 1 ressaltou a importância de criar uma conexão entre sua marca e seus colaboradores. Isso porque quanto melhor alguém entende o motivo de estar fazendo algo, mais impactante e significativo o trabalho se torna.

O objetivo de alinhar as metas e os valores organizacionais é que esse alinhamento ajuda a fazer com que a cultura da empresa se desenvolva organicamente, principalmente nos primeiros anos do negócio. Isso colabora para que a cultura organizacional se torne sustentável e escalável para todas as áreas da empresa.

3. Conhecimento é apenas meio caminho andado

Os melhores funcionários de varejo geralmente são os que mais sabem o que estão vendendo. Essa é um dos motivos pelos quais você deve equipar seu time de vendas com conhecimento e habilidades interpessoais, já que com isso eles ganharão a confiança dos clientes.

Contudo, não só de especificações do produto vive um vendedor do varejo. Lembre-se de que os clientes de hoje tendem a estabelecer relações com as marcas. Em tempos de Youtube, Instagram, Facebook e WhatsApp, os clientes aprendem sobre novos produtos assim que eles são lançados. Esses diferentes canais de mídia social também permitem que seus clientes conheçam mais sobre a marca antes mesmo de entrar na loja.

Sabendo disso, é importante garantir que seus colaboradores têm conhecimento sobre o que a sua marca compartilha nas mídias sociais. O time de vendas precisa estar por dentro das campanhas e promessas da marca, para que os colaboradores saibam se preparar e antecipar as possíveis dúvidas dos clientes que chegam a loja.

Ou seja: na era da mídia social, uma visão integrada entre marketing e vendas pode ajudar você a desenvolver estratégias de vendas que correspondam às expectativas e complementem a experiência on-line que o cliente teve.

4. A importância de ouvir

É uma realidade que o cliente de hoje não está mais disposto a abrir a carteira para o vendedor que tiver o melhor roteiro de vendas possível. Eles geralmente querem que os vendedores os encontrem onde estão, que entendam se estão pesquisando produtos ou comprando um item que já pesquisaram. Apesar disso, a escuta ativa, uma habilidade tão importante, tem sido geralmente subestimada.

Discernir que tipo de experiência o cliente realmente deseja é uma capacidade essencial para o vendedor de hoje. Felizmente, habilidades como essa podem ser ensinadas e praticadas. Seu desafio é mostrar ao seu time de vendas como ouvir sem preconceitos. O vendedor precisa entender que talvez o cliente esteja procurando a afirmação da pesquisa que fez antes de procurar a loja. Ou talvez ele esteja tendo um dia ruim e só queira desabafar. Saber ler o humor do cliente revela o vendedor que tem a capacidade de criar uma experiência encantadora para o cliente.

A Miolo Birô é uma empresa especializada em Educação Corporativa, formada por profissionais competentes e parceiros experientes na elaboração de ações presenciais e a distância para o desenvolvimento do seu time de vendas. Conte com a gente se você precisar.


6 dicas infalíveis para alavancar o engajamento nos treinamentos

Para muitos colaboradores a palavra treinamento pode ser um pouco assustadora. Seja na modalidade presencial ou mesmo on-line - que eles podem concluir em seu próprio tempo -, treinamentos de baixa qualidade podem acabar sendo demorados, entediantes e sem valor.

Mas ao contrário disso, um bom treinamento pode ser uma ferramenta capaz de empolgar, aumentar o engajamento e ajudar a desenvolver das habilidades dos colaboradores.

Está mais do que comprovado que a chave para bons resultados é a interatividade no treinamento. Os colaboradores precisam sentir que controlam seu próprio tempo e que as tarefas que estão realizando terão um impacto direto e positivo no dia a dia, na carreira e no futuro deles.

Para ajudar você a caminhar nessa direção, resolvemos listar 6 dicas úteis que podem fazer o treinamento dos seus colaboradores não ser mais o mesmo. Confira!

1. Permita que seus colaboradores façam pausas

Um treinamento complexo e envolvente demanda um poder intelectual muito grande das pessoas. Esse é o motivo pelo qual você deve permitir intervalos durante o treinamento. Afinal, você não quer que seus funcionários fiquem entediados ou distraídos durante o treinamento, não é mesmo?

Conceda aos participantes pelo menos 10 minutos depois de terminarem cada curso para relaxar e pensar sobre o que aprenderam. Isso ajuda a combater distrações comuns, como usar as mídias sociais, quando estiverem desenvolvendo uma tarefa no treinamento.

2. Utilize plataformas de e-learning modernas e interativas

Ler uma apostila ou um manual do colaborador não é exatamente a coisa mais emocionante do mundo. Por isso você deve buscar utilizar cada vez mais as plataformas digitais de aprendizado em seu planejamento de treinamentos. A interatividade provou aumentar o engajamento dos funcionários e até melhorar a retenção de conteúdo.

3. Seja flexível e deixe que cada um conclua o treinamento em seu próprio tempo

Este é outro dos grandes benefícios das plataformas de e-learning: permitir que seus colaboradores realizem ou continuem seu treinamento em sua própria agenda. Com ferramentas on-line é possível que ao colaborador fazer o login no trabalho, em casa, ou mesmo em deslocamento, e continuar o curso exatamente de onde parou.

Quando passam por um programa de treinamento inflexível, há uma forte tendência de que se os colaboradores sintam como se estivessem sendo forçados a ignorar seu trabalho mais urgente para concluir um módulo ou participar de uma aula presencial. No entanto, ao permitir que seus funcionários concluam o treinamento quando não estão ocupados, você pode deixá-los se concentrar tanto no trabalho quanto no desenvolvimento de suas habilidades.

4. Defina um plano de treinamento contínuo

O treinamento contínuo oferece uma variedade de benefícios. Ao estabelecer um padrão de educação constante na sua empresa, os colaboradores se acostumarão à ideia de aprender enquanto estão no trabalho. Além disso, num cenário assim, é mais provável que eles permaneçam engajados com sua cultura corporativa. Como você está constantemente aprimorando as habilidades e o conhecimento de seus funcionários, eles terão um desempenho cada vez mais eficaz em suas funções.

Apenas certifique-se de escolher uma plataforma de aprendizado robusta e flexível. E, lembre-se: não sobrecarregue seus time com trabalho extra. Pense  num cronograma de treinamento razoável que se adapte ao estilo de vida dos colaboradores, para que eles não se sintam estressados.

5. Seja breve e vá direto ao ponto

Os treinamentos corporativos mais eficazes têm uma característica importante: não ficam fazendo rodeios. Eles têm algo a ensinar e vão direto ao ponto, fazendo isso o mais breve e rapidamente possível.

Ninguém gosta quando seu tempo é desperdiçado e seu seus colaboradores perceberem incertezas, lacunas e falta de objetividade em um determinado treinamento, é menos provável que eles se envolvam ou prestem atenção.

Crie seus cursos para serem breves, impactantes e interativos, e você com certeza verá um crescimento significativo no envolvimento de seus colaboradores. Pode acreditar!

6. Seja claro com seus objetivos e expectativas de treinamento

Por fim, outra coisa importantíssima é que seus funcionários tenham uma ideia muito clara sobre o que você espera deles em cada treinamento. Para isso, defina claramente suas expectativas e deixe claro como o progresso de cada um será medido e avaliado.

Isso ajuda o colaborador a ter foco e dá ele uma meta para trabalhar em equipe. Esses fatores juntos são capazes de conduzir seu time a uma experiência de aprendizado muito melhor.

Agora é só colocar as dicas em prática!

Desenvolver um bom treinamento corporativo é algo exige bastante cuidado, entretanto, com as técnicas e plataformas de e-learning adequadas, alavancar o envolvimento e engajamento dos treinamentos da sua empresa está ao alcance.

Se você curtiu esse post, que tal dar uma olhada em outros posts do Blog da Miolo?! Somos especialistas em treinamento corporativo e gostamos de compartilhar o que sabemos para ajudar pessoas como você a desenvolver treinamentos mais eficazes e que deem mais resultados.


Desmistificando a plataforma LMS

Há duas semanas postamos aqui no blog um artigo sob o título Presencial ou EAD: qual a melhor forma de aprender? no qual destacamos duas características da modalidade de Ensino a Distância: uma delas é a liberdade do aluno para gerenciar seu tempo de aprendizagem e a outra o custo-benefício, em alguns casos, em relação aos cursos presenciais.

Mas como é possível usufruir desses dois benefícios da modalidade? Como permitir ao aluno o gerenciamento de sua própria aprendizagem? E como medir o desenvolvimento de cada um de forma a planejar novas ações ou corrigir as ações que não saíram como o esperado? É exatamente aí que entra o LMS.

O que é esse tal de LMS?

LMS é a sigla para Learning Management System ou, na nossa língua, Sistema de Gestão de Aprendizagem. Trata-se de uma plataforma que é responsável pelo gerenciamento completo das ações de EaD. Para ficar mais fácil de entender, podemos fazer um paralelo. No ensino presencial, para começar, você precisa de uma escola, que forneça a infraestrutura, ambientes nos quais serão realizadas as aulas e nos quais alunos terão contato com os conteúdos e com os professores. No EAD, é o LMS o responsável por fornecer esse ambiente de aprendizagem, mas de forma virtual.

Mas não para por aí. O LMS é um sistema completo de gestão e através dele é possível acompanhar o desenvolvimento dos alunos. Além disso, é possível, por exemplo, facilitar a inscrição dos alunos de maneira automatizada, gerar relatórios de aprendizagem e até mesmo emitir certificados. Veja abaixo uma lista de outras funções possíveis com um LMS:

  • a interação entre os alunos através de mensagens instantâneas, e-mail e fóruns de discussão;
  • upload e gerenciamento de arquivos relacionados ao conteúdo;
  • entrega de conteúdo do curso através de interfaces baseadas na web, permitindo, na maioria das vezes, a participação remota do instrutor ou aluno;
  • criação e publicação de calendários de cursos;
  • criação de atividades para avaliação da aprendizagem;
  • definição de conteúdo com base no perfil da função do colaborador;
  • designação de responsável por aprovar a participação em cursos (com base na alçada);
  • integração com os sistemas de recursos humanos, para acompanhamento de metas de desempenho.

Por que sua empresa deve investir em um LMS

A palavra que responde a essa questão é “eficiência”. O LMS permite à empresa gerenciar de maneira muito mais inteligente a aprendizagem de seus colaboradores. Em razão da quantidade de dados gerados e armazenados, a ferramenta te dá a possibilidade de planejar e corrigir ações em um tempo muito menor e de maneira muito mais certeira. Além disso, com a implementação de um LMS sua empresa terá à disposição:

  • cursos muito mais atrativos para uma audiência cada vez mais exigente, pois a plataforma dispõe de mais opções e formatos de conteúdo para quem desenvolve os cursos.
  • colaboradores cada vez mais responsáveis por seu próprio desenvolvimento, pois a plataforma possui funções que favorecem o autodesenvolvimento.

A Miolo Birô tem muito conhecimento na implementação e gestão de EAD via LMS e pode te ajudar nesse desafio estratégico para o seu negócio. Fale com a gente pelo e-mail contato@miolobiro.com.br!


O que faz uma empresa de Educação Corporativa?

Nos últimos dois anos o cenário corporativo vem se transformando, motivado pelas mudanças econômicas, e muito tem se falado sobre a necessidade de investimento em ações de educação corporativa nas empresas.

Com isso, vários textos e artigos foram divulgados na web explicando os benefícios da contratação e implementação de ações de educação corporativa para a motivação das equipes e melhoria dos resultados organizacionais. Para saber mais sobre Educação Corporativa, clique aqui e aqui.

Mas, o que fazem as empresas que atuam na área de educação corporativa como fornecedoras?

Os 3 itens centrais

Acima de tudo, o papel de um fornecedor de serviços de educação corporativa passa ativamente pela compreensão de três itens centrais relacionados à empresa contratante:

  1. a área de negócio da empresa;
  2. os problemas que a ação de educação corporativa buscará resolver;
  3. os resultados que a empresa espera ter ao final da ação educacional.

Para isso, ações de diagnóstico como levantamento de informações e conteúdos, acompanhamentos in loco, visitas técnicas, entendimento do trabalho das equipes, conhecimento das competências organizacionais, entre outras, são realizadas com o objetivo de auxiliar a composição da estratégia educacional a ser desenvolvida, que deve estar em linha com a estratégia de negócio da empresa.

O papel da empresa de educação corporativa

Mais que produzir conhecimento ou capacitar tecnicamente as equipes para as suas funções, a educação corporativa tem o importante papel de ser a ferramenta de apoio de líderes e gestores na condução das pessoas em direção à realização do plano estratégico das empresas.

Isso quer dizer que não basta sabermos quais são as competências que devemos desenvolver ao elaborar um programa de capacitação, mas sim, que devemos saber por que essas competências são relevantes e a que finalidade elas servem. Afinal, a educação corporativa está intimamente relacionada à educação de adultos. Isso faz com que toda e qualquer situação de aprendizagem elaborada seja útil, relevante e tenha aplicação direta no trabalho que a pessoa que recebe a capacitação realiza.

Por isso, após a etapa de diagnóstico, são realizadas reuniões para definição da estratégia didático-pedagógica e criados planos instrucionais, de comunicação e de identidade visual, para garantir que o material entregue “fale” diretamente com o público final.

Pensada a melhor solução (pesando tempo, custo e qualidade), é hora de produzir o que será entregue, o que envolve equipe de criação (desenhistas instrucionais, designers, conteudistas, revisores, programadores, locutores, especialistas em mídias digitais, coordenadores de ações educacionais) e parceiros (especialistas técnicos, instrutores, tutores) para tornar real o que foi planejado com e para a empresa demandante.

O desafio da empresa de educação corporativa

O desafio da empresa de educação corporativa passa a ser, a partir desse ponto, o de garantir a melhor experiência para o usuário, seja por meio de ações presenciais ou por meio de ações a distância. É nessa hora que instrutores especialistas, tutores qualificados, materiais visualmente agradáveis, tecnologias aplicadas à educação, conteúdos bem elaborados e aplicações práticas devem se juntar criando um cenário receptivo à aprendizagem e à ação e um campo aberto à proposição de ideias e novas atitudes.

Sabemos da relevância que o trabalho de desenvolvimento de pessoas e negócios tem para uma empresa e da importância que o fornecedor tem ao realizar essa ação. Por isso, apostamos, cada vez mais, na parceria e cooperação como forma de trabalho e na elaboração de soluções inteligentes que levem em conta o melhor custo-benefício, o reaproveitamento de recursos em diferentes ações (como objeto de aprendizagem) e o registro das práticas educacionais, ajudando os colaboradores a melhorarem seu desempenho e assim produzirem os resultados planejados pela empresa.

Conheça um pouco das nossas soluções ou agende uma visita com a gente através do e-mail contato@miolobiro.com.br.